Álcool e amamentação

Alguns velhos mitos sobre beber álcool durante a amamentação ainda permanecem na sociedade moderna, um dos quais é que a cerveja pode aumentar a quantidade de leite produzido pela mãe lactante. Também poderá ter ouvido que se ingerir apenas algumas bebidas é seguro, e não irá prejudicar o seu bebé.

O que dizem os especialistas sobre ingerir bebidas alcoólicas e amamentar?

Estudos científicos têm desmascarado esses mitos e comprovaram que a mesma concentração de álcool que fica na corrente sanguínea, acaba por ficar também no leite materno. Apesar de isto ser uma pequena fração da quantidade de álcool que ingere, lembre-se que o fígado do seu bebé é pequeno e prematuro, e a sua capacidade de metabolização é muito inferior comparada com a de um adulto. Sabe-se que um bebé de 3 meses de idade tem uma taxa de metabolismo 50% mais lenta em comparação com a dos adultos.

Os estudos também mostram que o álcool presente no leite materno pode causar alterações no sono do bebé e nos hábitos de alimentação. Mesmo que o álcool possa fazer com que o seu bebé fique sonolento e adormeça mais rapidamente do que o normal, irá também fazer com que ele durma menos do que o normal e acorde mais cedo. Os bebés com menos de 3 meses de idade têm mais riscos com o álcool, especialmente no que toca ao desenvolvimento motor, por isso a maioria dos especialistas defendem que as mães de recém-nascidos devem cessar o consumo de álcool completamente até o bebé completar os 3 meses.

Os dados científicos são bastante claros quando se fala no mito do aumento da produção de leite devido ao consumo de álcool – as bebidas alcoólicas produzem um efeito adverso, desidratam o corpo e reduzem a quantidade de líquido disponível no corpo necessário para produzir leite. O álcool decresce também os níveis de oxitocina, a hormona necessária para a lactação, o que faz com que os bebés consumam menos 20% do leite, caso as suas mães tenham consumido vinho, cerveja ou mistura de bebidas anteriormente.

Como fazer para consumir uma bebida ocasionalmente enquanto amamenta

Se resistir a um copo de vinho parece uma tarefa assustadora, existem coisas que pode fazer para limitar a exposição ao álcool no leite materno. Assim que esteja familiarizada com as recomendações gerais relativamente ao metabolismo do álcool, poderá planear a sua bebida com os seus amigos e ainda assim poder alimentar o seu bebé em segurança.

Os níveis de álcool no sangue e no leite materno atingem o seu pico após 30 a 90 minutos da sua ingestão, e a quantidade de tempo necessária para o álcool sair de circulação do corpo é muito individual. A recomendação dada pela Academia Americana de Pediatras, secção de amamentação, diz que não devemos ter mais do que 0.5 gramas de álcool em cada 1kg do peso corporal. Isto significa que uma mulher que pese 60 kg pode beber 60ml de licor, 240ml de vinho, ou 2 cervejas, e ainda assim pode amamentar em segurança. Contudo, deve planear a sua sessão de amamentação, após duas horas de ter terminado a sua bebida. Os especialistas recomendam também que não ingira mais do que 1 a 2 bebidas por semana.

As outras possibilidades incluem retirar leite da mama com uma bomba antes de ingerir a bebida ou oferecer fórmula para bebés, até que os níveis de álcool no sangue reduzam. Se falhar uma sessão de amamentação, a melhor ideia é retirar o leite da mama com a bomba e deitar o leite fora, para prevenir que ingurgite. Beba sempre um copo de água adicionalmente à sua bebida para evitar o efeito de desidratação.

Referências:

  • Alcohol does not increase milk production. (Mennella & Beauchamp 1991, 1993; Mennella 1997, 1999).
  • More than 2 drinks may inhibit let-down of milk (Coiro et al 1992; Cobo 1974).
  • Changes in the infant’s sleep-wake patterns (Mennella & Gerrish 1998).
  • Reduced gross motor development connected to the daily consumption of alcohol (Little et al 1989).