A anatomia do peito

Com o objetivo de entender a amamentação, corrigir as práticas e responder a algumas questões que possam surgir, devemos primeiro entender a anatomia básica do peito feminino. As estruturas principais do peito são:

  • O mamilo e a auréola, desenhados primeiramente para permitir amamentar. Os mamilos geralmente crescem e aumentam de tamanho durante a gravidez, enquanto as auréolas ficam mais escuras. Alguns especialistas acreditam que isto é a “mãe-natureza” a facilitar o bebé a encontrar o caminho
  • O tecido mamário contém muitas glândulas que produzem leite e segregam-no pelos ductos de leite que permite que o leite flua até ao mamilo. Os ductos de leite estão rodeados de células musculares que contraem durante a amamentação e ajudam a manter o fluxo de leite.
  • O tecido conjuntivo e gordura proporcionam apoio e proteção às partes mais delicadas de secreção do leite do peito.
  • Vasos sanguíneos, vasos linfáticos e nervos.

Durante a gravidez e após o parto, os seus peitos passam por grandes alterações que são provocadas por 4 hormonas segregadas pelo seu corpo: estrogénio, progesterona, prolactina e oxitocina.

O estrogénio e a progesterona são libertadas pela placenta durante a gravidez e o seu papel é preparar os peitos para a produção de leite. Sobre a sua influência, os seus peitos irão começar a criar mais ductos de leite, mas a produção de leite não é iniciada imediatamente. Assim que o seu bebé nascer e a placenta for removida, os níveis dessas hormonas no seu corpo descem, dando sinal para iniciar a produção de leite.

Após o seu bebé nascer, o primeiro leite a ser segregado pelos peitos é chamado de colostro. Este líquido espesso e claro está repleto de anticorpos que irão proteger o seu bebé, para que o sistema imunitário dele tenha tempo suficiente para se desenvolver e fortalecer. Uns dias depois, o verdadeiro leite começa a ser produzido e irá reparar que os seus peitos ficam mais inchados, pesados e quentes ao toque. Isto é normal e irá desaparecer em poucas semanas.

Assim que o estrogénio e a progesterona terminem a sua função, a prolactina e a oxitocina iniciam a sua. A prolactina é a única que estimula o seu corpo a produzir leite. Sempre que amamenta o seu bebé ou retira leite, os níveis de prolactina no seu corpo aumentam, dando assim o sinal aos seus peitos para produzir leite. Por outro lado, a oxitocina está presente para assegurar que aquilo que é produzido é libertado dos peitos. Por isso, acontece o reflexo de descida quando o leite é exprimido dos reservatórios e bombeado para os ductos de leite. O sinal inicial para o reflexo de descida é a sensação de sucção que o seu bebé cria quando tenta sugar o leite.

Assim que o estrogénio e a progesterona terminem a sua função, a prolactina e a oxitocina iniciam a sua. A prolactina é a única que estimula o seu corpo a produzir leite. Sempre que amamenta o seu bebé ou retira leite, os níveis de prolactina no seu corpo aumentam, dando assim o sinal aos seus peitos para produzir leite. Por outro lado, a oxitocina está presente para assegurar que aquilo que é produzido é libertado dos peitos. Por isso, acontece o reflexo de descida quando o leite é exprimido dos reservatórios e bombeado para os ductos de leite. O sinal inicial para o reflexo de descida é a sensação de sucção que o seu bebé cria quando tenta sugar o leite.